domingo, 27 de setembro de 2009

Exposição em Campinas narra trajetória do MST

Raphaela Ribeiro
Do Jornalismo em Posts


Serviço
O que: Exposição fotográfica “25 anos do MST”
Quando: Até 2 de outubro, de terça a sexta-feira, das 10h às 18h.
Onde: No MIS, Palácio dos Azulejos, Rua Regente Feijó, 859, Centro – Campinas
Contato: 3733-8800
Entrada gratuita.
O Museu da Imagem e do Som (MIS) de Campinas (Palácio dos Azulejos, Rua Regente Feijó, 859, Centro) exibe até o dia 2 de outubro a exposição fotográfica “25 anos do MST”. A mostra celebra o aniversário de fundação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra.

Reunindo o trabalho dos fotógrafos Ayrton Centeno, Carlos Ruggi, Daniel de Andrade, Douglas Mansur, Flávio Cannalonga (em memória), Francisco Rojas, João Ripper, João Zinclar e Leonardo Melgarejo, as 25 fotos expostas retratam os principais acontecimentos que marcaram a história do MST.

Melina Rangel de Andrade, militante há 5 anos e organizadora da exposição, conta que, de certa maneira, as fotografias também são usadas como uma forma de denunciar o fato de ainda não termos a Reforma Agrária no Brasil, “as fotos expostas expressam isso, são fotos desde a origem do movimento que trazem uma memória que fortalece a nossa identidade, ou seja, ainda nossos um movimento sem-terra, ainda estamos na luta”, completa.

A ideia da exposição surgiu por meio do próprio movimento, com o apoio do fotógrafo João Zinclar, “foi a questão política que me motivou a fazer a exposição. Apoio o movimento e sou defensor da reforma agrária no Brasil”, diz. A simpatia pelo MST também sensibiliza os demais fotógrafos que acompanham a trajetória dos sem-terra desde sua origem: “eles são militantes que contribuem com a nossa luta através da fotografia”, diz Melina Andrade.

A estudante de Ciências Sociais Thaiza Cristina do Carmo Pedroso, elogiou a diversidade de fotos e fotógrafos. “Eu gostei das fotos porque você percebe que tem um engajamento visual, e que elas fazem parte de um contexto, não só do Movimento Sem-Terra, mas do próprio fotógrafo”, comenta.

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra foi fundado em Cascavel (PR), em 1984, por lavradores que decidiram fundar um movimento social camponês, autônomo, que lutasse pela terra, pela Reforma Agrária e pelas transformações sociais. O MST está organizado em 24 dos 26 estados do país, nas cinco regiões. No total, são cerca de 350 mil famílias que conquistaram a terra por meio da luta e da organização dos trabalhadores rurais. O maior espaço de decisões do movimento é o Congresso que ocorre a cada 5 anos, que define as linhas políticas para o próximo período e avalia o período anterior.

Assista o vídeo com algumas fotos da exposição:
video