terça-feira, 17 de novembro de 2009

Azulejos do Museu Republicano são restaurados e se tornam objetos de exposição

Por Ingrid D'Elboux
do Jornalismo em Post

O Museu Republicano Convenção de Itu, em parceria com o Museu Paulista da USP, inaugurou no dia 12 de novembro a etapa principal da reforma dos azulejos das paredes de seu interior. A ideia é restaurá-los para a comemoração do aniversário da cidade, que vai completar 400 anos no dia 2 de fevereiro do ano que vem.

Para a diretora do Museu Paulista da USP, Cecília Helena Salles de Oliveira, a restauração é importante pois o museu conta com um grande acervo sobre a Convenção republicana: “É o documento histórico de uma época. É a história da cidade de Itu”.

Além disso, a restauração será realizada para levar as fotografias e a história desses azulejos em praça pública.. É o que José Antônio Barros Freire, supervisor deste projeto, chama de Museu vai ao público: “O povo gosta de conhecer, ele quer conhecer, desde que você crie as oportunidades. E se ele não vai ao museu, vamos fazer com que o museu chegue até ele.”

A exposição

Itinerante e gratuita, a exposição, que faz parte da comemoração do aniversário de Itu, vai contar com reproduções fotográficas dos painéis de azulejos em tamanho real, com a dimensão de 1.5m x 1.5m que vão ser expostas nas praças de diversas cidades: Itu, Santos, Sorocaba, Porto Feliz, Salto, Campinas e na região do Vale do Paraíba. Em cada um desses locais permanecerá por sete dias em espaços que serão agendados em conjunto com a direção do Museu Paulista. A estreia está programada na Assembleia Legislativa de São Paulo.

Essas reproduções serão expostas ainda em Brasília e no Museu Nacional do Azulejos em Lisboa, ambas só falta acertar uma data.

O principal foco, explica Barros Freire, é facilitar o acesso da população à cultura: “Todo o meu trabalho está direcionado para a democratização da informação, ela tem que chegar a todos os cantos desse país, para todas as idades, todas as religiões, para todos. Não pode ser de classes, de segmentos. Temos que democratizar a informação e a cultura de uma maneira geral.”

Modelo de TOTENS de 1.50m X 1.50m - reproduções fotográficas dos azulejos que estão no Museu Republicano.


Um pouco de história

Cada imagem, cada painel vai contar com um texto explicativo sobre cada uma delas, que foram elaboradas pelo historiador Afonso de Escragnolle Taunay, entre 1942 e 1945.

O historiador Jonas Soares de Souza, curador da exposição, explica que os azulejos recortam cenas e personagens da história que, sob o ponto de vista de Taunay, deveriam fazer parte da memória nacional, pois se referem ao movimento bandeirista, à participação de ituanos e paulistas no processo de Independência e na construção da República. “É uma narração visual dos principais momentos da história de Itu, com extensão da história do estado de São Paulo.”

Clique aqui e veja a galeria de fotos dos azulejos.

O livreto

Contendo 64 páginas e elaborado pelo historiador Jonas, o catálogo vai reunir as informações da exposição, num formato reduzido, quase num formato de bolso. Será distribuído em escolas, bibliotecas e museus gratuitamente.

O livreto foi feito na dimensão exata de um azulejo, ou seja, 15cm x 15 cm, dando a impressão de ser de fato um azulejo.

Capa do livreto


De acordo com Barros Freire, a realização do evento será financiada por empresas que utilizam a lei n°. 12.268/06, conhecida como Lei do ICMS, da Secretaria da Cultura de São Paulo, que permite abatimento de até 3% do ICMS devido em contrapartida ao incentivo de projetos culturais.

Se interessou pela história? Então não deixe de conferir um trecho do documentário sobre o Museu Republicano Convenção Itu, elaborado por Barros Freire, no vídeo abaixo.


Um comentário:

barros freire disse...

Prof Arthur Araújo

Matérias como esta nos incentivam a continuar na realização de projetos
direcionados a democratização da cultura e educação.
Parabéns a equipe do Jornalismo On line
e nota 10 para Ingri Elboux.
Muito agradecido !

Jose Antonio Barros Freire